O vale do mar

No Leyda, a região vitivinícola chilena mais nova e com um clima radicalmente frio, são produzidos os melhores brancos e tintos de clima frio do país. Nessa região, as videiras parecem ser imunes ao frio clima do Oceano Pacífico, que se aproxima cada vez mais à costa. As videiras se entrelaçam pelos onduladas colinas da zona quase chegando até o mar, testando as habilidades dos viticultores e enólogos. Os esforços são remunerados com brancos finos, de acidez crocante e grande frescor mineral e com tintos com especial sabor, os que chamam a atenção cada vez mais.

A proximidade com o mar, o efeito da fria Corrente de Humboldt e a falta de montanhas na área permitem que as brisas marítimas entrem e resfriem o ar. O clima costeiro do Leyda reflete-se em invernos com chuvas não maiores do que 250 mm por ano e em verãos secos por causa do anticiclone do Oceano Pacífico, o qual impede que a chuva chegue na temporada mais quente. O nevoeiro da manhã afugenta bem cedo, permitindo dias ensolarados com altos níveis de luz e uma humidade relativa do ar acima de 60%. Isso faz com que a uva amadureça mais lentamente, preservando os sabores e conseguindo uma boa acidez e frescor. A Amaral surpreende com uma boa produção de vinhos de alta qualidade, os que deliciam os paladares com seu carácter, o qual é definido por sua privilegiada localização, terroir e clima.

subir