Um tesouro enológico.

Apenas 12 km (7 mi) separam as vinhas da Amaral do mar do Oceano Pacífico, gerando um clima semiárido que surge a partir da forte influência marítima, particularmente fria por causa da Corrente de Humboldt, e da bacia do Rio Maipo, a qual fornece de frescor, ventilação e proteção contra as temperaturas extremamente baixas. Essa dupla influência (a marítima e a do rio) faz da Amaral um lugar único. Com uma altitude de 150 m (492 pies) acima do nível do mar, encontra-se a Amaral. 650 hectares (1.605 acres), das quais 100 (247) estão plantadas com as cepas Sauvignon Blanc, Chardonnay, Pinot Noir, Syrah, Gewürztraminer e Pinot Gris. O período de maturação das uvas é lento, o que permite um desenvolvimento ótimos dos aromas e sabores, junto com um perfeito equilíbrio dos níveis de açúcar e acidez das uvas.

As peculiaridades dessa vinícola única no Vale do Leyda não são geradas apenas por causa dos microclimas, exposições solares e altitudes. Suas suaves colinas cobrem uma diversidade de solos que tem se convertido em um verdadeiro tesouro enológico: de depósitos aluviais, provenientes da bacia do Maipo, de calcários originados a partir de depósitos marítimos e de granito originado pela Cordilheira da Costa. Essa é a marca distintiva da Amaral. A Amaral possui quarteis únicos, com diferentes orientações que permitem variações na maduração e na composição das uvas. Por meio de colheitas parciais, os vinhos obtêm características únicas conforme cada quartel. Tem se estudado muito o potencial de cada quartel e seus solos, para assim extrair o melhor de cada um. A combinação de todos esses fatores faz da Amaral um lugar especial para a produção de uvas de alta qualidade e, finalmente, de vinhos mais complexos que em cada garrafa expõem as características desse singular terroir.

Amaral

subir